segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Missa do dia de Natal


Nós não podemos chegar sozinhos até Deus. Ele é distante, é infinitamente maior do que nós, é eterno, está no céu. Mas, Deus deseja comunhão conosco, deseja que sejamos filhos, que estejamos perto dele, na sua glória, no seu reino, no seu amor, no seu colo. Como Ele faz para chegar perto da gente?

Cristo existe desde o princípio. Ele existe antes de toda criação. O Evangelho fala do Verbo que se fez carne. O termo dabar, ao ser traduzido por logos (no grego: Jo 1,1.14) Comunicar a dabar de Deus, no contexto semita, significa comunicar a pessoa de Deus na totalidade do seu ser. Quem acolhe a dabar, portanto, acolhe em seu coração o próprio Deus, fica possuído por Ele, transformado pelo Senhor.

A Dabar (Verbo) existe desde o princípio (Jo 1,1). E este Verbo que é essencialmente comunicação de seu ser foi se comunicando aos seres humanos... Primeiro, pelos patriarcas, pelos profetas... De muitos modos Deus falou, mas o povo não entendeu direito... (Hb 1,1). Deus se comunica ao longo da história: Ele quer que conheçamos sua mensagem, sua Palavra, seu amor... Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus falou por sue filho (Hb 1,2). O Verbo se fez carne (Jo 1,14). Agora a voz de Deus é uma voz humana, Deus tem carne humana, rosto humano, jeito humano...

Por que Deus veio até nós? Deus se encarna para que nós possamos chegar até Ele. Quem é Deus? É Jesus de Nazaré, é Jesus - o Cristo. Ele tem uma palavra que se pode entender, um rosto humano para contemplar, uma vida humana que partilha da nossa vida. Deus tornou-se compreensível. Mais ainda! Deus se fez humano para que os seres humanos se tornem divinos. Deus deseja nos divinizar. Quando Deus assume a natureza humana, Ele pretende nos fazer como Ele. Se você quer ser perfeito, deve ser como Jesus de Nazaré.

Mas nós o desprezamos (Jo 1,10-11). Podemos mais uma vez recusar o Cristo. Podemos mais uma vez perder a oportunidade de deixar Ele se encarnar na nossa vida. Sua face deve transparecer na nossa face. Sua encarnação deve se prolongar em nós. Afinal, somos o Corpo de Cristo, somos o prolongamento de sua ação salvadora. Olhemos para nossa vida... Natal é sempre um tempo que desperta a sensibilidade, a solidariedade, o perdão, o amor, os sentimentos mais profundos e sinceros... Como está o nosso coração? Desejamos viver como Jesus de Nazaré?

Adoremos o Cristo, o homem-Deus. Sua carne e sangue, a mesma encarnada, é oferecida a cada um de nós nesta Eucaristia. Mais uma vez o Cristo se rebaixa e se oferece. Quem abrir o coração deixará mais uma vez Ele nascer cheio de luz e manifestar a sua graça a todos.

Pe Roberto Nentwig

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS