terça-feira, 27 de novembro de 2012

Estágio pastoral, inserindo o jovem na comunidade!


CATEQUESE... Essa ‘onda’ não vai passar. Creio e espero!

A catequese vista como prioridade! Escuto e leio essa frase desde que iniciei como catequista, (em 95). Hoje,  depois de muitos anos, entendo o porque dessa PRIORIDADE e vejo também  que a IVC não sendo tarefa exclusiva da catequese, deve envolver todas as pastorais,  como se cada uma fosse um pequeno nó da grande rede que é a comunidade.  Caminhamos para essa conversão pastoral, quando propomos e oferecemos estudos e uma formação sólida sobre IVC para nossos catequistas e agentes de pastorais. Depois da conscientização, é preciso traçar metas de trabalho, fazendo com que essa rede seja fortalecida. Por exemplo:

As Pastorais Sociais...  Quem assiste os doentes  ou as famílias carentes, não fiquem só no assistencialismo, mas, ao visitar um doente ou quando for entregar a cesta básica, façam antes de tudo o anuncio da Boa Nova, seguidos de  momentos de evangelização, orientando, ajudando na promoção humana e resgatando a dignidade da pessoa, ensinando a pescar, sobretudo   percebendo quais são as necessidades espirituais  da pessoa assistida, passando para as pastorais competentes, batismo, catequese, legitimação, entre outras.

A pastoral Familiar... Trabalhará em conjunto com a catequese, visitando os casais de segunda união, a legitimação orientando os  que estão em situação irregular perante a Igreja. Todos esses dados serão levantados pelos catequistas, por ocasião da visitas domiciliares. Não adianta fazer um apanhado se isso não for levado adiante.

O ECC (Encontro de Casais com Cristo)... Dará prioridade aos casais, cujo filhos estão na catequese, já que o catequista vem fazendo um trabalho de conscientização/evangelização também com as famílias. Precisamos evangelizar e também mostrar caminhos

Pastoral da criança... Favorecerá momentos de espiritualidade e evangelização também com a família. A pesagem não será o principal, mas o acompanhamento, orientação, encaminhamento pastoral.

Juventude... Nossos jovens conscientizados não ficarão ‘naquele grupo fechado’, mas abrirão as portas  para acolher os recém-crismados. Como é o caso do EJC (Encontro de jovens com Cristo) que tem como prioridade o envolvimento com os crismados recentemente.

O padre/pároco... Uma vez  consciente, apoiará a implantação do método catecumenal, fazendo com que os ritos sejam levados a sério, aproveitando desses momentos para uma evangelização de toda assembléia. (Tenho acompanhado algumas paróquias e por mais que os catequistas/coordenadores se empenhem,  é impossível essa caminhada sem a presença do padre, por conta das celebrações e alguns ritos que são realizados dentro da missa.) Aqui entra a liturgia,  pois nesse processo catequético a liturgia tem que caminhar lado a lado, talvez fazendo acontecer esse casamento tão sonhado entre catequese e liturgia.

Falando em pastorais, chego enfim, no assunto sujeito desse meu texto, o ESTÁGIO PASTORAL. O estágio pastoral é um trabalho desenvolvido com o objetivo de facilitar, promover o engajamento do jovem nas diversas pastorais da paróquia.  A escolha da pastoral acontece após o trabalho realizado pelo catequista, onde será apresentado todas as pastorais existentes na paróquia, o que fazem, quais suas carências, suas conquistas, bem como os dias que se reúnem. Cada crismando, dentro da disponibilidade de tempo  e aptidão, escolhe a pastoral em que deseja participar como estagiário.

O estágio pastoral acontece nos meses de novembro, fevereiro, março, abril e parte de maio, quando por ocasião de Pentecostes, recebem o sacramento do crisma.  Em junho, acontecem os encontros mistagógicos, tempo para aprofundar o mistério do sacramento, da caminhada, tempo para escutar as experiências dos estagiários.
Depois dessa caminhada, muitos continuam na pastoral em que fizeram o estágio ou fica  livre para conhecer outra pastoral.

Essa iniciativa se deu na tentativa de reduzir ao máximo a evasão de nossos crismados. O estágio pastoral faz parte do processo e é encarado com naturalidade. São raros os casos de crismandos que se negam a participar, mesmo nesses casos, ele é conscientizado quando participa da troca de experiências com o grupo. O importante  é oferecer, propor e depois respeitar o tempo de cada um.

Abaixo, deixo pra vocês um resumo de como está organizado ESTÁGIO PASTORAL em nossa paróquia.

Principal objetivo: mostrar por meio do estágio pastoral, a vitalidade e as carências das pastorais da comunidade, a fim de convocar todos para anunciar o nome do Senhor, ser Igreja e promover o bem comum. (livro “Testemunhas do Reino-Paulinas”.).

Pretensão: é levar á integração dos jovens nas pastorais, mostrar a cada crismando outros trabalhos que temos na Igreja, além da catequese e da missa dominical.

Para acontecer o estágio pastoral temos três elementos básicos:
- os catequistas: motivadores para os crismandos participarem do estágio;
- os pais/padrinhos: incentivadores para os crismandos participarem do estágio;
- os coordenadores de pastorais: acolhendo bem cada crismandos em sua pastoral, e também avaliando mensalmente a sua participação na pastoral.

Como será o trabalho:
- no mês de outubro, é apresentado a cada crismando os trabalhos das pastorais e cada catequizando vai escolher uma para fazer o seu estágio; no final de outubro é realizado a missa de envio

- o estágio vai acontecer nos meses de novembro, fevereiro, março, abril e parte de maio, quando recebem o sacramento do Crisma

- no mês de junho, realizam-se os encontros mistagógicos,   vivenciando com os crismados o recebimento do Sacramento da Crisma e também o Estágio Pastoral (reviver as suas experiências que tiveram na pastoral).

É muito importante lembrar que talvez muitos crismandos não participem daquela pastoral que fez o estágio pastoral após a Crisma; mas que estaremos plantando uma semente no coração daqueles jovens que no futuro quem sabe não despertem para os trabalhos pastorais.

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, breve estarás fazendo o impossível.” (São Francisco de Assis)

Imaculada Cintra
Catequista Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Capelinha
Franca-SP

Um comentário:

  1. Olá, Imaculada, gostei muito do assunto postado aqui, no blo, essa experiência do estágio pastoral, deveria ser realizado em todas as pároquias, quem sabe assim haveria umm maior numero de jovens participando em nossas pastorias, vou cmpartilhar esse artigo com os nossos catequistas aqui da Paróquia Santa Rosa de Lima - V.Industrial/SP, eu faço parte da Capela Cristo Rei, uma das comunidades da paróquia. bjs. Edna

    ResponderExcluir

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS