terça-feira, 16 de outubro de 2012

Notícias do Sínodo dos Bispos 09 - Pe. Lima


PAPA NOMEIA DELEGAÇÃO PARA MEDIAR O CONFLITO NA SÍRIA

Ao iniciar os trabalhos de hoje, Dom Tarcísio Bertone, sdb, Secretário de Estado, comunicou que o Papa Bento XVI nomeou uma delegação de padres sinodais para ir em nome desse Sínodo da Igreja Católica até à Síria, país mergulhado numa guerra civil sem fim, e levar solidariedade, auxílio econômico e propostas para a cessação das hostilidades nas quais já morreu muita gente, principalmente civis. A proposta foi acolhida pela Assembleia com uma grande salva de palmas. Todos admiraram a coragem e determinação do Papa ao tomar tal decisão!

A respeito do polêmico filme projetado ontem, esclareceu-se que tinha a finalidade de chamar a atenção para a diminuição das famílias no ocidente cristão, sem nenhuma conotação religiosa e suscitar um debate a respeito do sacramento do matrimônio que a nova evangelização deve levar muito em conta.

Também o Card. D. Wifrid Fox Napier, Arcebispo de Durban (África do Sul) perguntou em público o que era essa tal de Aparecida que os latino-americanos citam tanto. Porque não citam o Sínodo das Américas (Ecclesia in America) que foi o documento papal sobre esse continente? Nós da América Latina achamos estranho, mas, afinal de contas, não podemos saber de tudo! D. Carlos Aguiar Retes (México), Presidente do CELAM esclareceu o que são e como surgiram as Conferências do Episcopado Latino-Americano, como o Sínodo das Américas foi de todas as Américas (incluindo, pois, EUA e Canadá) e que o CELAM é um outro organismo, congregando apenas países da América Latina e Caribe, que possuem uma certa unidade cultural-religiosa (diferente dos EUA e Canadá) e, mais ainda, como Aparecida foi realizada 10 anos após o Sínodo das Américas e que, portanto, tratou de assuntos muito mais atuais. No entanto garantiu que na relação que fez logo no início da Conferência de Aparecida sobre a situação da fé no continente, ele que redigiu tal relatório, usou bastante o documento de João Paulo II Ecclesia in America.

Por falar em Aparecida tenho a sensação de que esse grande acontecimento da nossa Igreja Latino-Americana dos inícios do milênio, de certa forma já abordou e tomou decisões pastorais, em escala continental, a respeito dos mesmos temas que o Sínodo de Roma agora está abordando em escala mundial e, portanto, mais complexos. Nesse sentido, nossa Igreja Continental já deu passos significativos em direção dessa Nova Evangelização desde 2007; o Sínodo virá certamente reforçar algumas opções já feitas por nós e indicará novas perspectivas de ação, também pela autoridade maior que tem, com relação à Aparecida.

Hoje, como ontem, foi um dia de discursos e debates, talvez os últimos. Falaram aqueles padres sinodais inscritos e que ainda não tiveram oportunidade de falar, e principalmente um grupo dos chamados "delegados fraternos", ou seja, representantes de outras igrejas cristãs que, fraternalmente, foram convidados a partilhar conosco as mesmas preocupações diante do desafio da Evangelização no mundo de hoje.

Dom Launay Saturné, de Haiti, fez um sentido agradecimento a toda Igreja pela ajuda recebida por ocasião do grande terremoto que quase destruiu todo o país. Hoje, já em parte reconstruído, a Igreja se empenha em reedificar também espiritualmente toda a nação, tão sofrida e provada.

D. Claudio M. Celli, presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, disse que uma das novidades do anúncio evangélico hoje são as novas mídias. A arena digital é uma realidade na vida das pessoas, sobretudo no ocidente e entre os jovens. Não podemos considerá-la um espaço virtual menos importante que o espaço real. De certa maneira a Igreja já possui uma presença no espaço digital, e o próximo desafio é a mudança do estilo comunicativo para tornar essa presença eficaz. Devemos aprender a apresentar o evangelho numa linguagem midiática, e não usar a mesma linguagem que usamos na cultura gutemberiana. Se de um lado a mudança técnica é relativamente fácil e visível, muito mais desafiador é mergulhar na cultura midiática e através dela propor a mensagem de Jesus.

Dentre os auditores (ouvintes) falou o sr. José Prado Flores (México), fundador e presidente mundial das "Escolas de Evangelização San Andres". Partindo do texto evangélico que fala da perda de Jesus no Templo, ele afirmou que muitas vezes, na nossa pastoral, "perdemos Jesus", ou seja: ficamos preocupados com tantas coisas, como doutrina, moral, teologia, direito, devoções...e esquecemos o centro e o início de tudo, que é o encontro pessoal com Jesus Cristo, ponto de partida e fundamento de tudo o resto. Daí a importância do primeiro anúncio, do querigma. Essas "escolas de evangelização" são um movimento leigo dedicado justamente ao primeiro anúncio e ao querigma. Suas escolas, presentes em muitos países, também no Brasil, preparam evangelizadores para atuarem em todos os campos da sociedade.

Na parte da tarde, o Papa fez questão de estar presente na primeira parte, pois foi quando falaram "os delegados fraternos". Ele quis prestigiar, apoiar e ouvir esses nossos irmãos de outras igrejas. Entre os sete que falaram estava o Metropolita Hilarion Alfeyev, do patriarcado de Moscou, a bispa Sarah F. Davis, do Conselho Mundial Metodista, o Rev. Dr. Timothy George, da Federação Mundial Batista, o bispo Steven Croft, anglicano, o bispo Span Siluan, da Igreja Ortodoxa Romena e o frater Alois, Prior da Comunidade Ecumênica de Taizé. Todos eles agradeceram muito a honra de terem sido convidados para um evento tão importante da Igreja Católica e aprofundaram o tema do ecumenismo.

No momento da palavra livre Dom Odilo falou da necessidade de aprofundar a antropologia cristã, diante de tantas concepções errôneas a respeito da natureza humana, e mostrar claramente, como ensina o Vaticano II, que Jesus revela o homem ao homem. Solicitou também que na Mensagem final seja dita uma palavra de encorajamento de nosso povo na fé, que às vezes sente-se fraco e desanimado diante de tantos ataques que a Igreja vem recebendo ultimamente, ou dos escândalos internos da mesma Igreja.

Um bispo da África do Sul questionou por que as mulheres são as que mais frequentam a Igreja Católica e os homens vivem afastados... em outras religiões, disse, são os homens que mais participam e atuam nas próprias Igrejas...

Ao concluir o dia o Secretário Geral, Dom Nikola Eterovic, agradeceu o trabalho dos peritos ou consultores na elaboração da Relação sobre as discussões havidas até hoje e que será apresentada amanhã. Ao mesmo tempo comunicou que já estão à disposição os textos para a celebração eucarística da missa intitulada: "pela nova evangelização", com tradução inclusive em português. 

Roma, 16 de Outubro de 2012
Pe. Luiz Alves de Lima, sdb.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS