sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Leitura Orante: Consagrados e Consagradas


Neste terceiro domingo do mês de agosto somos convidados/as a refletir e rezar por aqueles e aquelas que, de maneira muito especial, se colocam a serviço do Reino, consagrando sua própria vida. 

Consagrados e Consagradas:
Testemunhas da Boa Nova do Reino
Introdução 

A. (Animador): Bem vindos, irmãos e irmãs! Este é um momento precioso com que Deus nos presenteia para estarmos em comunidade, unidos nesta terceira semana do mês vocacional, e rezan¬do por todos os irmãos e irmãs, consagrados e con¬sagradas, que na sua opção de vida, testemunham o fascínio da amizade com Jesus e a alegria que brota do amor por Ele. Na contemplação e na atividade, na solidão e na fraternidade, no serviço aos pobres e aos últimos, eles se entregam na total dedica¬ção, por vocação, deixando-se modelar pela Pala¬vra, traduzindo-a em testemunho para todos nós. Alegres ao rezarmos por esta vocação tão sublime, iniciemos nossa celebração, cantando: 

T. (Todos): Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém! 

Testemunho Vocacional 

L1 (Leitor 1): “O coração a Deus e as mãos ao trabalho”, este era o lema que orientou a vida de Madre Maria Josefa Rossello (1811-1880), conhe¬cida como a Santa do coração grande, por conta de sua misericórdia para com os mais pobres. 

L2: Benedita Rossello, nome de Madre Jose¬fa antes de sua consagração religiosa, era filha de ceramistas que viviam em Albisola Marina, Itália. Ainda jovem começou a trabalhar em uma cidade chamada Savona e sofreu pela morte de seus pais e de alguns irmãos. Mas não desanima¬va e repetia para si mesma: 

T.: “Tenho só um desejo: crescer no amor a Deus, ser útil ao meu próximo e chegar à santidade”. 

L3: Os meios para alcançar essa meta surgiram quando o bispo de Savona, Dom Agostinho de Mari, após ter percebido o abandono das crianças, adoles¬centes e jovens nas ruas de sua cidade, começou a procurar alguma pessoa misericordiosa que pudesse acolher as meninas desamparadas de seu povo. 

L4: O bispo encontrou em Benedita Rossello esta pessoa inteiramente disponível a doar-se a Deus, ajudando as pessoas a conhecê-lo e a amá-lo. A ela foi confiada a educação das jovens. 

L5: Em 1837, sentindo que deveria empenhar toda a sua vida na busca da configuração com Cristo misericordioso e, como Maria, mãe da misericórdia, acolher e irradiar esta misericórdia a todos, principalmente aos mais pobres e necessitados, Benedita consagrou-se a Deus, juntamente com outras três companheiras. Ela recebeu o nome de Irmã Maria Josefa Rossello, e fundou uma comunidade religiosa, chamada Instituto de Nossa Senhora da Misericórdia. 

L1: Atualmente este Instituto continua se dedicando em diversos países, incluindo o Brasil, para manifestar os mistérios da misericórdia, por meio de ações concretas, nas áreas da educação e saúde, atuando junto aos jovens, às famílias, aos menores carentese ao serviço de animação vocacional. 

L2: O que mais se destaca na vida desta religiosa que se consagrou a Deus e viveu inteiramente para promover as pessoas e a misericórdia? Conhecemos outras religiosas que podem ser citadas como exemplos? O que fizeram e como viveram para se destacarem? Em nossa comunidade existem consagradas e consagrados a Deus? Qual seu carisma e/ou qual o trabalho que desenvolvem? 

A. (Após a partilha das ideias surgidas pelo testemunho vocacional): Vamos fazer um instante de silêncio e colocar-nos diante de Deus pedindo para que nosso coração esteja aberto à sua escuta, seja nas Sagradas Escrituras ou na vida das pessoas que lhe são fiéis.

Refrão Orante (“Aquele que vos chamou é fiel – 1Ts 5,24; 1Cor 1,9”, de Frei Luiz Turra, CD Palavras Sagradas de Paulo Apóstolo; Paulinas, COMEP) 
T.: Aquele que vos chamou, aquele que vos chamou, é fiel, é fiel. Fiel é aquele que vos chamou.

Leitura Orante da Palavra de Deus

A.: Vamos ouvir, no Evangelho de Lucas, o episódio de Marta e Maria, as duas irmãs de Lázaro. Nele Jesus está a caminho para Jerusalém, onde será preso e morto. 

L3: Ele chega na casa de Marta, que o recebe. Maria, sentada aos pés de Jesus, escutava a sua palavra. Marta, na cozinha, estava ocupada com os afazeres domésticos.

A.: Duas atitudes importantes, sempre presentes na vida dos cristãos: estar atenta à Palavra de Deus e estar atenta às necessidades das pessoas. Cada uma destas duas atitudes exige atenção total. 

L3: Marta queria que Maria sacrificasse sua atenção à Palavra para ajudá-la no serviço da mesa, mas não se pode sacrificar uma atitude em favor da outra. É preciso alcançar o equilíbrio! Vamos preparar-nos para ouvir o Evangelho, invocando o Espírito Santo cantando: 
Canto (à escolha) 

L3: Jesus entrou num povoado, e uma mulher, de nome Marta, o recebeu em sua casa. Ela tinha uma irmã, Maria, a qual se sentou aos pés do Senhor e escutava a sua palavra. 

Marta, porém, estava ocupada com os muitos afazeres da casa. Ela aproximou-se e disse: 
T.: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda pois que ela venha me ajudar!” 

L3: O Senhor, porém, lhe respondeu: 

A.: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agi¬tada com muitas coisas. 

T.: No entanto, uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”. 

A.: Palavra da Salvação. 

T.: Glória a vós, Senhor. 
(Breve momento de meditação) 

Passos para a Leitura Orante 

1º passo – O que o texto diz em si?

L4: Vamos recordar o que foi lido espontaneamente, sem ler outra vez. Quem são os personagens? Com o que estão preocupados? 

2º passo – O que o texto me diz? E para minha comunidade? 

L5: Qual a frase que mais chamou a minha atenção? Que luzes o texto traz para minha vida pessoal e para a comunidade? Há algo que não entendi no texto? Qual a relação deste texto com a vida religiosa consagrada? 

3º passo – O que este texto me leva a dizer a Deus? 

L6: Faça um pedido, um agradecimento, um louvor a partir das luzes e pistas dadas pela Palavra de Deus. 

4º passo – Quais os compromissos que eu assumo a partir da Palavra de Deus? 

L7.: Exponha um compromisso pessoal e/ou combine um compromisso para o grupo. 
Canto (à escolha) 

Oração Vocacional 

A.: Elevemos ao Senhor da Messe nossa oração, em especial aos consagrados e consagradas: 

LADO A: Trindade Santa, Deus da vida e do amor, somos seguidores e seguidoras de Jesus, discípulos missionários a serviço da messe. 

LADO B: Contamos com a tua graça para corresponder à ordem de Jesus: Rogai ao Senhor da messe para que envie operários à sua messe (cf. Mt 9,38). 

LADO A: Queremos incentivar a vocação dos cristãos leigos e leigas à vida consagrada e aos ministérios ordenados, construindo uma Igreja corresponsável e ministerial. 

LADO B: Queremos, com Jesus, ser uma Igreja fiel aos sinais dos tempos, samaritana, missionária e libertadora, que responda aos clamores do povo, em suas lutas e esperanças, e que testemunhe a Boa Nova do Reino, com a palavra e com a vida.

LADO A: Maria, ó Mãe das Vocações, és a Mãe da Messe e te convidamos para visitar-nos. Venha! 

LADO B: Venha visitar-nos com a mesma ternura e interesse com que foste à casa de tua prima, Isabel, levando teu Filho no ventre. 

LADO A: Venha visitar nossos jovens, desper¬tando-os para uma vida de total entrega à messe mais sofrida e abandonada. 

LADO B: Venha, ó Mãe santa, venha visitar nossa família e nossa comunidade, enriquecendo¬-as de bons operários e operárias do Evangelho, que levem Jesus a todos os corações. 

T.: Ó Virgem Santa, interceda por nós, filhos e filhas em seu Filho. Amém! 

(Breve momento de silêncio, pedindo a bênção de Deus. Depois cada fiel eleva a mão direita sobre a assembleia, em sinal de bênção e envio, e diz o que segue:) 

T.: O Senhor esteja diante de ti para te guiar. 
Ao teu lado para te proteger e caminhar contigo. 
Em tua mente para te iluminar. 
Em teu coração para te consolar e te dar coragem. 
Em teus pés para que vás ao encontro de quem necessita. Amém! 

Concluir com Pai Nosso, Ave Maria e Glória. 
Segue a bênção com o Santíssimo onde for costume. 

Canto final (“Ouviste a Palavra de Deus”, de Pe. José Weber, CD Festas Litúrgicas III; Paulus, COMEP) 

Refrão: Ouviste a Palavra de Deus, / guar¬daste em teu coração, / feliz porque creste, Maria, / por ti nos vem a salvação! (bis) 

1. Nas palavras da lei e nos Profetas / tua alma sedenta bebia / a Esperança do Povo na vinda / de Deus que os famintos sacia. 

2. Quando o anjo por Deus foi mandado / Dizer-te da escolha tão alta / Sendo Mãe tu quiseste ser serva / Do Deus que os humildes exalta. 

3. Quando o viste nascer rejeitado / Perseguido até a morte cruel / Tua fé trouxe a Páscoa da vida / Pois Deus para sempre e fiel. 

Aprofundamento 

Quem são as irmãs e irmãos de vida consagrada? As congregações, institutos, sociedades de vida apostólica e novas formas de vida consagrada constituem o Corpo místico de Cristo; por sua natureza definitiva, incondicionada e apaixonada de total adesão a Deus.

Os consagrados e consagradas testemunham o fascínio da amizade com Jesus e a alegria que brota do amor por Ele. Na contemplação e na atividade, na solidão e na fraternidade, no serviço aos pobres e aos últimos, no acompanhamento pessoal e nos areópagos modernos, estão prontos para proclamar e testemunhar que Deus é amor, e como é agradável amá-lo. Fazem isso porque ouvem as palavras de Jesus, como Maria (cf. Lc 10,39). 

Os votos, ou conselhos evangélicos, de castidade, pobreza e obediência, são sinais visíveis de uma realidade futura, mas já presente e real em nosso meio. Não é um sonho impossível, mas uma das expressões do Reino de Deus na história. O carisma da vida consagrada é um dom para a Igreja e um sinal para o mundo. Não é fuga de uma realidade, mas compromisso com o mundo. Enfatiza o contraste entre os valores do Evangelho com o valor materialista da sociedade. 

Ao renunciarem tudo para seguir Cristo, os consagrados e consagradas dão o que possuem de mais precioso, enfrentando qualquer sacrifício, para seguir os passos do Mestre e se tornam sinal de contradi¬ção, pelo simples modo de pensar e viver muitas vezes em contraste com a lógica do mundo veiculada, principalmente, nos meios de comunicação social. 

Os consagrados e as consagradas não se distin¬guem por sua ação, mas pela existência vivida na radicalidade dos conselhos evangélicos; por conviverem em fraternidade com pessoas diferentes – idade, nação, personalidade. Eles criam novo jeito de estar no meio do povo, adotam uma postura de compaixão, paciência, presença, modéstia, flexibilidade, misericórdia e criatividade. Amam os pobres, não por serem pobres, mas por serem pessoas humanas, “preferidas do Pai”, mas excluídas na sociedade. Vivendo assim, na gratuidade do amor, testemunham que Deus cha-ma todos os cristãos e cristãs a uma vida profética e missionária, fazendo novas todas as relações, fazendo novas todas as coisas, a exemplo de Deus que diz: “Eis que faço novas todas as coisas!” (Ap 21,5).

Um comentário:

  1. Ola amigos e irmãs do catequese e biblia muita paz e um feliz final de semana,montei um palno para integração da catequese com a familia e gostaria que avaliacem e me dissece se vale apena colocar em pratica, para velo entre em
    www.aguasprofundasevangelizacao.blogspot.com
    FIQUEM COM DEUS ABRAÇOS

    ResponderExcluir

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS