quinta-feira, 16 de agosto de 2012

História dos Concílios (2)


Continuamos a síntese dos 21 Concílios Ecumênicos da Igreja, para compreendermos bem a importância do Concílio Vaticano II (1962-1965). Vejamos os 03 últimos Concílios (Basiléia, Trento, Vaticano I):

1.4 – A Igreja em busca da reforma interna. Concílios 17 a 21: 17) Basiléia (na Suiça)-Ferrara e Florença (na Itália) (em 1431-1432): A Igreja define a relação oficial dos livros da Bíblia; (O Cânon dos Livros Sagrados, declarados como inspirados por Deus); A Igreja tenta a união com Igrejas Orientais Ortodoxas, e define os poderes do Papa sobre toda a Igreja Católica; 18) Latrão V (de 1512 a1517): Condenação do Concílio ilegítimo de Pisa (1409-1411), que causou séria divisão na Igreja; Este Concílio determina uma ampla reforma na vida da Igreja.

1.5 A Igreja realiza a sua reforma interna: 19) O Concílio de Trento (de 13/12/1524 a 04/12/1563), aconteceu em Trento, na Itália, e foi longo. Sua tarefa consistiu em fazer uma ampla e profunda ”Reforma de toda a Igreja Católica”. O impulso lhe veio especialmente dos desafios apresentados pelas grande divisões, que a Igreja experimentava na época. Citemos as principais: a) Na Alemanha, sob liderança do padre Martinho Lutero, com o apoio religioso de muitos seguidores e o apoio político dos príncipes alemães, nascia a Igreja Protestante. O nome veio do protesto dele contra algumas crenças e práticas da Igreja Católica do século XVI. E, também, da “Carta de Protesto” de 1529, combatendo as 95 teses de Lutero; b) Na Inglaterra,  Henrique VIII (1491-1547), decidiu romper com o Papa, que não lhe permitiu o divórcio, e criou a Igreja Anglicana; c) Na Suíça dois outros líderes criaram Igrejas: Ulrich Zwinglio (1484-1531) e João Calvino (1509-1564). 

Desde 1563, nós, Igreja Católica, estivemos normatizados e orientados pelos documentos e pelo espírito conciliar do Concílio de Trento: Ritual da Missa e de todos os Sacramentos, Estilo de Oração, Latim como língua oficial da Igreja, Reforma dos Seminários, das Dioceses e Paróquias, Unificação rigorosa da doutrina da Igreja Católica (em relação aos ensinamentos dos Protestantes, da Igreja Anglicana, do Calvinismo, etc). E uma síntese da Doutrina está no Catecismo de Trento ou Catecismo Romano; adoção oficial dos Livros bíblicos gregos, além dos escritos em hebraico (tradução dos 70 sábios), o que diferencia da Bíblia protestante que, portanto, tem 07 livros a menos...

1.6 A Igreja diante da modernidade: 20) Concílio Vaticano I (em 1870). A Igreja estava preocupada com as grandes mudanças ocasionadas pela evolução da indústria, da ciência, da filosofia e da política. Ela reagiu fortemente ao “modernismo” que influenciava decisivamente as pessoas e a organização da sociedade. Além disso, os “Estados Pontifícios” estavam sendo conquistado pela Guerra da Unificação da Itália e era preciso tomar uma atitude. Declarou-se, portanto, a Infalibilidade do Papa, acentuando a sua autoridade suprema no mundo. Mas o Concílio não conseguiu trabalhar os temas propostos, pois a guerra da Unificação Italiana o interrompeu.

Irmão Israel José Nery, membro do Instituto Religioso La Salle, é catequeta e escritor 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS