sábado, 2 de junho de 2012

Solenidade da Santíssima Trindade


Deus não é fechado em si mesmo. A Trindade não fica cultivando o carinho mútuo, no egoísmo narcisista. Pelo contrário, Deus é vida que se abre à nossa história. Nós cristãos cremos e experimentamos o Deus que vem até nós e participa de nossa história: “Reconhece, pois, hoje e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima do céu e cá embaixo na terra, e que não há outro além dele” (Dt 4, 39). Deus habita o mundo com presença trinitária. E se Deus não se ausenta, não importam as trevas que possam nos assaltar, o Senhor está no meio de nós, caminhando ao nosso lado: “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo” (Mt 28, 20).

A nossa história, portanto, entende-se como autocomunicação de Deus, que livremente age na história, tendo Cristo como ponto auto, cume da história da salvação. A experiência da graça é comunicada no Filho; o Espírito Santo nos diviniza e nos faz participar do Mistério da Trindade. Pela ação do Espírito experimentamos a filiação do Pai, enquanto irmãos de Jesus Cristo e assumimos em nossa própria existência a vida divina: “De fato, vós não recebestes espírito de escravidão, para recairdes no medo, mas recebestes o Espírito que, por adoção, vos torna filhos, e no qual clamamos: Abba, Pai!” (Rm 8,15).

A experiência de Deus Trino é uma experiência de amor. Deus vem habitar a história porque nos ama, porque nos quer para Ele. Ser habitado pela Trindade é viver esta experiência de amor. Portanto, o mistério trinitário não é reservado para os sábios e teólogos, mas para todo ser humano que fizer a experiência do amor. Quem não ama não pode entender o mistério da Trindade.

Diante do Deus Trindade, primeiramente silenciamos e contemplamos o seu mistério. Num segundo momento, percebemos o dom trinitário em nós. Nossa relação com cada uma das pessoas é importante. O Pai nos lembra que Deus está acima de nós, dando a sua lei, manifestando a sua vontade. O Filho nos lembra que Deus está ao nosso lado, caminha conosco, dá a sua vida, ensina quem é o ser humano... O Espírito nos lembra que Deus está dentro de nós, é a voz divina no interior de nossos corações, a experiência de intimidade.

No encontro com o Deus Trindade, aceitamos livremente o dom de Deus e nos tornamos colaboradores de sua ação no mundo. Por isso, no Evangelho deste domingo, Jesus nos convida à missão. A Trindade realiza a Missio Dei, vindo até nós e revelando o seu plano de amor. De nossa parte, cabe-nos acolher o Deus Trinitário e anunciá-lo ao mundo: “Ide por todo mundo...” Nossa missão é fazer discípulos em nome da Trindade. O desejo de Deus é que todos sejamos seus discípulos.

Nossa alegria é a filiação divina, a graça do Espírito que habita em nós, o amor do Pai que reside em nosso coração, o seguimento ao Senhor Jesus, a vida de graça que acolhemos pelo olhar da fé, a nossa vida configurada à morte e ressurreição de Cristo. Esta alegria deve ser anunciada ao mundo. Queremos que todos descubram esta graça e participem desta vida nova no Senhor. Não faremos proselitismo aos não crentes, mas testemunharemos esta graça. Que todos possam descobrir a graça da vida trinitária, experimentando dentro de si o amor de Deus derramado em nossos corações. Vivamos o amor que sai de nós e seremos verdadeiramente imagem e semelhança da Trindade Santa.

Pe Roberto Nentwig

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS