terça-feira, 24 de abril de 2012

Uma espiritualidade Bíblica


Estamos aqui em Aparecida em plena Assembleia dos Bispos do Brasil. O tema central que se reflete nesta 50ª Assembleia é: “A Palavra de Deus na Vida e Missão da Igreja”. Sabemos que esta temática emerge de um longo processo que fez a Igreja toda recolocar a Palavra de Deus no centro de sua ação evangelizadora. Neste caminho a pastoral catequética, foi, sem dúvida, um espaço privilegiado no sentido de colocar a Bíblia como o Livro por excelência de toda catequese(DNC).

Esta centralidade da Palavra de Deus, que tem na Bíblia uma de suas principais fontes, já foi assimilada em grande parte de nossas comunidades. Acontece, porém, que não basta aderir a este desejo da Igreja, expresso em diversos documentos recentes, nem é suficiente oferecer intensa formação bíblica, embora isto tudo seja muito importante. O que é fundamental, porém, é trabalharmos em nós uma profunda mística bíblica, sem a qual é muito difícil compartilhar esta experiência com nossos interlocutores na catequese.

Alguém pode perguntar: como se cultiva esta mística ou espiritualidade bíblica? Haverá muitos caminhos, vejo como essencial, porém, tornar carne e sangue em nós aquilo que apreendemos pela leitura da Bíblia. Exemplificando:

1 – A leitura e estudo dos  relatos da Criação, despertam em nós a fé no Deus Criador, mas  é preciso transformar este saber e esta fé em um compromisso concreto de defesa da Obra Criadora que hoje corre sério risco  de ser degradada e até destruída. A sensibilidade por todos os seres criados, mas especialmente pelos mais agredidos, machucados em sua dignidade ou descartados será o principal testemunho da(o) catequista.

2 – A experiência do Povo de Deus com seus diversos êxodos (do Egito, da Babilônia, etc) deve produzir em nós um compromisso com os êxodos de tantos grupos humanos de hoje. E também criar em nós a consciência de nossa condição de peregrinos que não tem aqui sua morada definitiva, por isso não se prendem às realidades passageiras, mas ajudam transformar estas para que sirvam a todos os caminhantes na sua busca de vida plena.

3 – A profecia, espalhada por toda Bíblia, mas especialmente explicitada por algumas figuras, os profetas, nos levará a integrar em nossa vida um espírito crítico, que reage contra tudo que desfigura o Projeto de Deus. Nos dará coragem também para anunciar caminhos novos de organização mais humana , justa e fraterna para que o Reino de Deus de fato se concretize no mundo.

Coloco apenas estes pequenos exemplos, que vem  do antigo testamento. Poderia tocar ainda em tantos pontos do novo, mas deixo isso para uma outra reflexão que abordará “uma espiritualidade encarnada” principalmente centrada nos evangelhos.

Acredito que os interlocutores em nossa catequese só se convencerão da preciosidade da Bíblia para suas vidas e se encantarão com ela, se a virem estampada em nossos rostos, gestos e projetos que ajudamos concretizar. Até mais!

Pe. Décio José Walker – Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS