sexta-feira, 20 de abril de 2012

Fontes do Catecismo da Igreja Católica

  Anteriormente vimos a origem e natureza do Catecismo [1]. Hoje vamos quais são suas fontes inspiradoras. Esta abordagem ilustra e ilumina melhor a natureza e a finalidade do Catecismo como um dos grandes instrumentos da educação da fé.
            Sendo um texto que procura aprofundar o conteúdo da fé cristã católica, o Catecismo tem, como referências principais, as grandes fontes do cristianismo. Na verdade, a fonte é uma só: a Palavra de Deus, tomada em seu sentido amplo, como ensina a constituição Dei Verbum: “ Deus se revelou através de palavras e acontecimentos intimamente unidos” (DV 2). Palavras: aquilo que sai da boca para comunicar nosso pensamento e sentimentos. Acontecimentos ou fatos: é tudo aquilo que vai além da palavra falada, do discurso, do ensino... são as ações concretas que confirmam e dão autoridade à palavra falada.
            Nesse binômio, Palavra é tudo aquilo que os profetas (desde Abraão até o último dos Apóstolos) pronunciaram, ensinaram, pregaram... e depois, tudo aquilo que a Igreja ensinou e ficou, ao longo dos séculos, como riqueza de sua doutrina. Por outro lado os acontecimentos, são os fatos concretos que Deus realizou na história da salvação e continua realizando na nossa vida, e que a Bíblia chama de  “maravilhas”. Hoje, tais acontecimentos, fatos ou maravilhas de Deus são as ações da Igreja, sobretudo os sacramentos.
            A Palavra por excelência que o Pai nos enviou para comunicar-nos seu amor é Jesus Cristo, ele mesmo palavra e acontecimento, a Quem o Novo Testamento chama de o Verbo de Deus (verbo significa palavra). Por isso ele é o centro e a finalidade de toda a catequese. Diz o Bem-aventurado João Paulo II: “Ao apresentar a doutrina católica de modo genuíno e sistemático,  o Catecismo reconduz todos os conteúdos da catequese ao seu centro vital, que é a pessoa de Cristo Senhor”.
            A doutrina da Igreja ensina que essa única Palavra de Deus, além da pessoa divina do nosso Salvador, possui muitas outras expressões, que se tornam, todas elas, fontes da catequese e consequentemente do Catecismo. Ou seja:
a)   As Sagradas Escrituras: Palavra de Deus inspirada, transmitida de geração em geração e fixada nos livros sagrados. Veneramos e temos em altíssima consideração, em primeiro lugar, essa palavra escrita, lida pessoalmente e em comunidade, venerada, proclamada e ouvida nas celebrações. O Catecismo é uma contínua transmissão e aprofundamento dessa Palavra Bíblica. Contrariamente ao Catecismo de Trento que evocava sempre os textos bíblicos para dar autoridade ou comprovar uma doutrina apresentada, o Catecismo da Igreja Católica parte dos próprios textos bíblicos para, em seguida, deles deduzir a doutrina professada. Portanto, é um uso muito mais profundo e significativo! Assim, a Bíblia é o primeiro e principal texto de catequese! E o Catecismo está impregnado de Bíblia!
b)  A Sagrada Liturgia: é outra fonte riquíssima da expressão da fé à qual continuamente o Catecismo se refere. Um sentença da teologia assim diz: lex orandi, lex credendii Numa tradução livre, significa: cremos conforme rezamos e rezamos conforme cremos. De fato, a educação da fé sempre buscou na Liturgia o seu alimento substancioso. É o que chamamos de dimensão mistagógica da catequese: a participação frutuosa nas celebrações nos coloca mais facilmente em contato com as realidades divinas que professamos. O Catecismo se inspira muito na Liturgia, tanto ocidental como oriental.
c)   A Sagrada Tradição: com o término da revelação bíblica (ou com o ponto final no Apocalipse), Deus não deixou de nos falar. Temos, nos textos sagrados, a revelação fundante; no entanto, através dos séculos a revelação divina prossegue; Deus se manifesta através de tudo aquilo que a Igreja, como Corpo de Cristo no mundo e em obediência ao seu mandato, vai refletindo, aprofundando, adaptando a expressão da fé aos vários momentos históricos, conservando e aumentando a riqueza da fé.
            Deus se manifesta pelo sentido da fé (sensus fidei) do Povo de Deus. O Magistério da Igreja tem o dever de guiar a Igreja na audição dessa Palavra de Deus que se manifesta nesses sentido da fé do Povo de Deus. Faz parte desse Magistério os que receberam o carisma de orientar a Igreja à luz da Palavra de Deus, nossos pastores, tendo à frente o Papa com todo o episcopado.
            Tudo isso recebe o nome de Tradição eclesial, e é composta pela vida dos santos, a doutrina dos Concílios, o ensinamento dos mestres da fé, sobretudo o magistério eclesial, a riqueza da Liturgia, a vivência religiosa do povo com suas expressões (religiosidade popular).
            Nesse aspecto também, o Catecismo é muito rico. Ele expõe não só aquilo que chamamos de doutrina da fé, mas também é perpassado continuamente pelo testemunho dos Santos, dos Padres da Igreja (grandes escritores do início do cristianismo), dos mestres da fé (teólogos e escritores) e dos textos mais expressivos da piedade cristã.
            No seu conjunto, o Catecismo representa a Tradição da Igreja, tanto ocidental como oriental, ou seja, seu patrimônio doutrinal inspirado nas fontes da fé, adquirido ao longo dos séculos, testemunhado pela vida do povo cristão e confirmado pela autoridade do autêntico Magistério.
            Podemos concluir com João Paulo II: “como exposição completa e integral da verdade católica, tanto doutrinal como dos costumes, válidos sempre e para todos, o Catecismo, com seus conteúdos essenciais e fundamentais, permite conhecer e aprofundar, de maneira positiva e serena, aquilo que a Igreja Católica crê, celebra, vive e reza [...]; nos faz contemplar a beleza e a riqueza da mensagem de Cristo Jesus”.

Pe. Luiz Alves de Lima, sdb, é doutor em Teologia Pastoral, catequeta, professor de teologia,  conferencistas, redator e editor da Revista de Catequese.


[1] De agora em diante, a expressão Catecismo, se não houver outra referência, sempre significará o Catecismo da Igreja Católica.

Um comentário:

  1. Pe. Luiz Alves de Lima, Deus seja louvado pela sua vida. Estou fazendo um curso de teologia na minha paróquia e seu estudo sobre o Catecismo da Igreja Católica muito tem me orientado. Quero agradecê-lo e incentivá-lo. Que Deus continue ungindo o senhor com os dons sagrados. Parabéns e obrigada.
    Sueli rosa dos Santos de Barbacena MG

    ResponderExcluir

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS