segunda-feira, 31 de outubro de 2011

PEQUENA FILIPINA SIMBOLIZA O SER HUMANO DE NÚMERO 7 BILHÕES


Danica Camacho - Foto: AP
A Ásia, onde vivem dois terços da população mundial, recebeu simbolicamente o ser humano de número 7 bilhões, uma pequena filipina de nome Danica cujo nascimento foi celebrado em Manila e ilustra os desafios planetários de crescimento demográfico.

O planeta atingiu a população de seis bilhões em 1999. Na ocasião, a ONU escolheu Adnan Nevic, um menino nascido em Sarajevo, como representante simbólico da marca. Desta vez, a ONU optou por não designar nenhuma criança com antecedência e vários países pretendiam reivindicar a efeméride.
Danica May Camacho, nascida no domingo, dois minutos antes da meia-noite, no José Fabella Memorial Hospital, um centro público da capital filipina, tem 2,5 quilos. Seus pais, Florante Camacho e Camille Dalura, foram felicitados por representantes das Nações Unidas.

"É muito bonita. Não posso acreditar que seja a habitante sete bilhões do planeta", comentou emocionada Camille Dalura na sala de partos, invadida pela imprensa. Danica receberá uma bolsa de estudos e seus pais uma quantia em dinheiro para abrir uma loja.

"O mundo e seus sete bilhões de habitantes formam um conjunto complexo de tendências e paradoxos, mas o crescimento demográfico faz parte das verdades essenciais em escala mundial", declarou a representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) nas Filipinas, Ugochi Daniels.

PASSOS DA LECTIO DIVINA

Um cartão para ser impresso, frente e verso, e distribuído aos catequizandos. Pode ser também impresso em tamanho menor como marca página.


Clique encima da imagem para visualizar em tamanho maior e salvar.

Eu me encanto com Jesus...


Jesus nos faz viver um encantamento contínuo... A força do "amai-vos uns aos outros" é o supremo encantamento, algo que move o mundo e as pessoas, por mais que algumas se neguem a acreditar nisso.

Terezinha Oliveira - Rio de Janeiro RJ

domingo, 30 de outubro de 2011

HOMILIA DO DOMINGO


Pe. Roberto Nentwig
31º.  Domingo do Tempo Comum - A

O termo hipocrisia vem do grego hypokhrinesthai, que significa representar um papel, fingir. Portanto, o hipócrita é um artista, alguém que tem a competência de interpretar um personagem. Na literatura antiga, o termo às vezes é usado para designar um comediante, podendo assim, indicar um bobo, um palhaço.
A hipocrisia está no centro da denúncia profética do Senhor no Evangelho deste domingo. Os mestres da lei não deveriam apenas se destacar pelo ensino da lei de Deus, mas pela vivência de sua Palavra. Por isso, Jesus convida o povo a ouvir seus ensinamentos, mas não a imitar suas ações, pois não praticavam seus próprios ensinamentos.

É preciso que aprendamos a unir nossos sentimentos, palavras e ações para que a totalidade de nosso ser viva a partir da centralidade de nossas decisões. Do contrário seremos como artistas, ou seja, apenas representaremos de um papel social como pais, educadores, profissionais, evangelizadores...

A hipocrisia está muito perto de nós. Infelizmente, o mau exemplo vem de cima, quando o político vai a TV e fala de direitos humanos, de justiça social e do bem de todos, e depois é denunciado em casos de corrupção. Pode estar ainda mais perto quando os pais falam de educação e não testemunham a retidão de caráter. Está também em nossa falta de cidadania, na cultura do jeitinho e do tirar proveito, em nosso desrespeito às leis de trânsito, no lixo que se joga no chão da cidade, no desrespeito aos mais velhos e na falta de consideração para com os vizinhos. É sempre bom perceber nossa ética nas pequenas coisas, para não sermos traídos quando falamos dentro de nossa casa sobre respeito, disciplina, trabalho e religião. Nossas atitudes nos denunciam.

Jesus alerta principalmente sobre o mau uso da religião. Sua palavra é dirigida aos chefes religiosos da época, sendo hoje uma palavra oportuna a todos os que possuem responsabilidade na Igreja e no anúncio do Evangelho, para que se evite a hipocrisia. A evangelização deve ser acompanhada do testemunho para ser autêntica, pois a maneira de evangelizar também é mensagem. Nesta linha, o papa Paulo VI nos fala de uma evangelização silenciosa: “Por força deste testemunho sem palavras, [os]cristãos fazem aflorar no coração daqueles que os veem viver, perguntas indeclináveis: Por que é que eles vivem assim? Por que é que eles vivem daquela maneira? O que é – ou quem é – que os inspira? Por que é que eles estão conosco?” (Evangelii Nuntiandi 21). Segundo o mesmo papa: “O homem contemporâneo escuta com melhor boa vontade as testemunhas do que os mestres (...) ou então se escuta os mestres, é porque eles são testemunhas” (Evangelii Nuntiandi 41).

A religião jamais poderá ser instrumentalizada a serviço da vaidade pessoal. O engrandecimento de si mesmo por algum feito religioso, o enaltecimento da própria santidade já é em si mesmo um ato diabólico. A advertência coloca-se principalmente diante dos evangelizadores: ministros ordenados, religiosos, religiosas e leigos engajados devem avaliar constantemente seu trabalho pastoral para que o mesmo não seja um instrumento de poder ou de autoevidência. Os mestres da lei e os fariseus estavam sentados na cátedra de Moisés, colocavam cargas pesadas nas costas do povo, mas não viviam a lei em plenitude; prevaleciam-se de seus títulos, não sua fidelidade. Há um grande perigo de nos tornarmos novos mestres da lei, fariseus, maus “detentores” de um poder sagrado. Opressores hipócritas, ao invés de testemunhas vivas do Reino.

É preciso que a comunidade cristã seja uma verdadeira fraternidade (“vós sois todos irmãos”). A Igreja não é constituída de superiores e súditos, mestres e discípulos, pais e filhos, doutores e alunos, mas por irmãos iguais, que têm um Pai comum (“um só é o vosso Pai, aquele que está no céu”) e que seguem o mesmo Cristo (“um só é o vosso mestre, Cristo”). Em muitas ocasiões, percebemos prevalecer na Igreja o que Cristo não quis: o desejo de poderes hierárquicos de mestres e doutores, a disputa por cargos. Por isso, é preciso uma refontalização do significado de autoridade: a autoridade (exousia) deve estar fundada no serviço (diakonia): “Quem quiser ser o primeiro, seja aquele que serve!”

Na liturgia da palavra deste domingo há ainda uma exortação para que a comunidade seja perseverante e não caia no desânimo e na infidelidade. Na primeira leitura, Deus está descontente com os sacerdotes, porque deixaram a comunidade desanimar. O templo foi reconstruído depois do exílio, voltaram os sacrifícios. Faltava-lhes o fervor e a fidelidade. Acabaram por se esquecer do amor, caindo no descuido dos irmãos e na injustiça. Nossa comunidade pode ter muitas coisas – uma estrutura física bem constituída e até muitas lideranças. Mas pode faltar o fundamental – o fervor e a fidelidade genuína à lei que se traduz no amor.

São Paulo formou a comunidade de Tessalônica pela pedagogia da ternura (“Foi com muita ternura que nos apresentamos a vós”). Que a ternura reine em nossas igrejas, nas nossas famílias e nos ambientes que frequentamos. Assim, a nossa religião não será mera teoria ou prática litúrgica e devocional, mas vivência do essencial. Surgirá então o testemunho que não obriga pelo zelo agressivo, nem deseja aumentar a quantidade dos adeptos, mas flui naturalmente e oferece gratuitamente o serviço amoroso do Reino de Deus.

Bom domingo a todos!

Pe. Roberto Nentwig

"Basta-te a minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força!" (2Cor 12,9)

Eu me encanto com Jesus...

Eu me encanto com Jesus quando me falam que a doença do me filho não tem cura, mas pra Ele tudo tem cura!!!

Leyce Galvão - Taubaté SP

sábado, 29 de outubro de 2011

A MISSÃO É SERVIÇO

"Eu sou daqueles que dizem e não fazem? A palavra de Deus queima os lábios se é mal pronunciada, mas ela queima também se é pronuncida e não é vivida. Realmente, o que anuncio é porque as palavras são eco de um fogo de vida no Espírito Santo que arde dentro de mim? Precisamos ouvir o Senhor para depois, vivendo com alegria a Boa Nova, anunciar aos irmãos e irmãs".

Neste final de semana celebramos o Dia Nacional da Juventude! É uma ótima ocasião para darmos alguns passos para a motivação e participação na Jornada Mundial da Juventude que acontecerá aqui no Rio de Janeiro. Estamos também encerrando o mês das Missões com a firme convicção de estarmos permanentemente em missão. A Palavra de Deus deste 31º Domingo do Tempo Comum ilumina nossas vidas para vermos, tanto como missionários como também como sede da JMJ, aqueles que agem como servidores – é uma missão, é um serviço, a que todos somos chamados a prestar, tanto à Igreja como à Sociedade.

Quando lemos os Evangelhos, ainda ficamos surpresos diante da acolhida que as multidões reservam para Jesus. Havia dias em que o Mestre não tinha um momento de paz: as pessoas vinham de toda parte para ouvir sua palavra. Os testemunhos dos  Evangelhos dizem unanimemente que era principalmente a sua palavra que encantava as multidões, e as pessoas aproximavam-se Dele principalmente para ouvi-Lo.

Jesus anunciava de maneira nova aquilo que já estava inspirado e colocado por escrito na Bíblia. Basta pensar no Evangelho do domingo passado, quando Jesus responde à pergunta sobre o maior mandamento ao citar as palavras da lei judaica: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração!” (cf. Mt 22,27; Deuteronômio 6,5). Parece que as multidões estavam cansadas de muitas palavras que ouviam nas sinagogas todos os sábados e, ao invés disso, vieram até Jesus porque Ele "os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas" (Mateus 7, 29). Precisamente esta última referência revela o segredo de Jesus – Ele falou "como quem tem autoridade". Havia uma autoridade em seus discursos novos e inesperados, que os escribas e fariseus não possuíam.

O último fato – como o próprio Jesus diz no Evangelho deste domingo (Mt 23,1-12) – "dizem e não fazem; atam fardos pesados e os põem aos ombros dos homens, mas eles não querem movê-los com um dedo". E eles perderam a sua autoridade, porque só falam "para serem vistos pelos homens", sem realmente acreditar no que diziam. É uma dura palavra que ressoa até hoje em nossos ouvidos e nos questionam profundamente.

Esta é uma crítica muito dura que Jesus dirige ainda hoje a todos nós, pois Jesus nos exorta para não criticarmos os outros, mas para examinarmos a nós mesmos: de fato continua seu discurso dizendo "você" e não "eles" ("não sejais chamados Rabi! E não sejais chamado de mestres" - Mt 23, 8.10).

Da mesma forma que aconteceu naquela época aos escribas e fariseus, mas não aconteceu com Jesus, Ele falava com autoridade porque Ele dizia e fazia. Estamos lendo a confirmação do Evangelho deste domingo, quando Ele recomenda aos seus discípulos para ser servos uns dos outros: "o maior entre vós será vosso servo" (Mateus 23, 11). Todos sabemos que Jesus, num gesto de doação, lava os pés dos seus discípulos, e, com esse gesto, resume que o serviço de doação que tantas vezes Ele recomendou e que Ele vai cumprir depois de algumas horas na cruz.

De fato, Jesus disse e fez: ele falou com autoridade porque acreditava profundamente no que dizia e diz para nós até hoje. Ainda ressoa em meus ouvidos as palavras do Servo de Deus, o Papa Paulo VI, quando escreveu sobre a evangelização: “os homens de hoje escutam muito mais as testemunhas que os mestres, e se escutam os mestres é porque são testemunhas”. Aí está o grande segredo de todo trabalho e toda pregação, seja nas igrejas, seja nas praças, seja pelos meios de comunicação e até mídias sociais: ser testemunha daquilo que se fala. O segredo da missão evangelizadora está na pessoa que atua! Por isso o texto do evangelho deste domingo nos questiona profundamente e nos exorta a dar passos concretos na direção de uma vida coerente e transparente. E este é o milagre: que possamos renovar e devolver um sentido de coerência para as muitas palavras que trocamos e pregamos todos os dias.

Eu sou daqueles que dizem e não fazem? A palavra de Deus queima os lábios se é mal pronunciada, mas ela queima também se é pronuncida e não é vivida. Realmente, o que anuncio é porque as palavras são eco de um fogo de vida no Espírito Santo que arde dentro de mim? Precisamos ouvir o Senhor para depois, vivendo com alegria a Boa Nova, anunciar aos irmãos e irmãs.

Podemos perceber no Evangelho algumas situações que esvaziam nossas vidas e que deveriam ser mudadas em nosso dia a dia. Uma situação é a hipocrisia: digo e não faço. A incoerência de vida diante do que falamos sem vivenciarmos com simplicidade e coerência a Palavra de Deus. Outra situação é a vaidade: tudo fazem para serem admirados. O objetivo é conseguir fama e nada mais. Não é um serviço ao Reino de Deus. A vaidade torna o interior vazio. Ainda uma outra situação: o gosto do poder: impõem cargas pesadas a todos. O Evangelho oferece alguns caminhos de mudança: em vez de aparecer, agir secretamente; a simplicidade ao invés da duplicidade, o serviço ao invés do poder. O maior mandamento, diz Jesus, é "Amarás" e na liturgia de hoje acrescenta: o maior entre vós será vosso servo.

Ao celebrarmos, concomitantemente, o Dia Nacional da Juventude, é bom lembrar que a juventude dá muito valor à autenticidade evangélica. A juventude quer líderes que tenham coerência na pregação e na ação. Notamos isso pelos movimentos que espocam por todos os cantos do mundo e também em nosso país, exigindo coerência e transparência.

Aquele que é o Senhor e Salvador de todos escolheu o caminho do servo: está aos pés de todos, é o servidor que lava os pés dos discípulos. Aquele que é Deus conosco cinge uma toalha e quer curar todas as feridas da terra. Servo sem igual! E se deve haver uma hierarquia na Igreja, será invertida em relação às normas da sociedade sobre a terra: “vocês são todos irmãos”. E, em seguida, inverteu novamente, por Cristo, que se tornou irmão, mas depois se tornou o último dos irmãos. Jesus muda a raiz do poder. Nosso Senhor Jesus Cristo revela que todo homem é capaz de poder, se ele é capaz do serviço.

Todos nós que buscamos entender a sociedade hodierna e encontrarmos caminhos para uma convivência pacífica entre os povos temos na Palavra deste domingo um bom caminho a seguir: Serviço. Este é o nome secreto da civilização do amor, porque este é o estilo que Deus escolheu.

Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro - RJ

Começa o 4º Muticom



Começou na noite desta sexta-feira (28) o 4º Mutirão Regional de Comunicação. O evento reúne agentes da Pastoral da Comunicação de todas as 21 dioceses dos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O tema deste ano “Processos de comunicação e mídias digitais: evangelização em tempos de cibercultura”, será debatido em 14 oficinas e oito seminários, onde trabalham a importância da comunicação na Igreja, nas mais variadas formas de ação.
A abertura aconteceu no Ginásio do Colégio Santa Madalena Sofia, com a apresentação folclórica da região e com as palavras de boas vindas do coordenador da Pascom em Maceió, Pe. Eduardo Tadeu. Em seguida foi realizada a conferência sobre o tema central do encontro com a irmã Joana Puntel, religiosa da Congregação das irmãs Paulinas, doutora em Comunicação pela Simon Fraser University (Vancouver, Canadá) e pós-doutora pela The London School of Economics and Political Science (Londres, Inglaterra).
A Catequese está representada com a Oficina Catequese Digital que será ministrada pelo membro da coordenação Arquidiocesana, Marcos Filipe.
Fonte: http://cacmaceio.blogspot.com/

Eu me encanto com Jesus...



EU ME ENCANTO COM JESUS QUANDO... Acordo e vejo que Ele me deu uma nova chance para corrigir meus erros de ontem e amar cada vez mais aqueles a minha volta!.

Elis Aparecida R. Santos Carvalho - Taubaté-SP



sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Eu me encanto com Jesus...

São tantos os momentos... Mas eu realmente me encanto com Jesus quando recebo um abraço apertado de um de meus filhos e escuto baixinho no meu ouvido "Mamãe eu te amo".

Gisele Lombardi - Taubaté-SP

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

ENCONTRO DE CATEQUISTAS DA ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO


A Arquidiocese de São Paulo reuniu mais de 300 catequistas num encontro arquidiocesano no Centro de Pastoral São José do Belém, zona leste da cidade, no último sábado, dia 22 de outubro.

Nesse encontro, catequistas de Primeira Eucaristia, Crisma e Batismo puderam refletir sobre as conclusões do VII Sulão de Catequese, da Comissão para Animação Bíblico-Catequética do Regional Sul 1 da CNBB, que foi realizado no mês de agosto, em São José do Rio Preto (SP). E também refletiram sobre os frutos do I Congresso Brasileiro de Animação Bíblica da Pastoral, realizado em Goiânia, no início de outubro.

O padre Paulo Cesar Gil, coordenador arquidiocesano de catequese e assessor da Comissão Bíblico Catequética do Sul 1, destacou a importância da Iniciação à vida Cristã e a animação bíblico catequética, enfatizadas pelas Novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE).

De acordo com a Carta Compromisso do "Sulão", é preciso "assumir, na formação dos catequistas e na comunidade eclesial, a Iniciação à Vida Cristã, um processo de inspiração catecumenal, com metodologia adequada, despertando-os para o compromisso missionário vivencial; ter a missão de envolver-se na experiência fascinante com Cristo, ser engajado na comunidade; investir na formação de novos catequistas com dimensão catecumenal".

O encontro chamou a atenção para a necessidade de "organizar um itinerário ‘mistagógico’ passando da catequese orientada para os sacramentos à uma catequese que introduza no mistério de Cristo e na vida eclesial".

Para reforçar a importância de uma catequese orientada pela Palavra de Deus, houve um momento de leitura orante da bíblia com os catequistas, seguindo o estímulo dado a essa prática pelo Sínodo dos Bispos sobre a Palavra de Deus, que resultou na Exortação Apostólica "Verbum Domini", do papa Bento 16.

Dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar de São Paulo e referencial da Animação Bíblico-Catequética na Arquidiocese, chamou a atenção dos catequistas para o empenho da Igreja de São Paulo de renovação das paróquias, destaque pastoral dos anos de 2011 e 2012. "O processo de renovação das paróquias passa pelo processo de Iniciação à vida Cristã e por uma pastoral animada pela Palavra de Deus", afirmou.

Encerrando o encontro, o arcebispo de São Paulo, cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, presidiu a missa com os catequistas.

Na homilia, o cardeal agradeceu a dedicação dos catequistas e estimulou-os a perseverarem na missão. Dom Odilo afirmou ainda que é necessário "trazer mais pessoas para serem operários na messe", lembrando o que foi constatado no recente levantamento feito nas paróquias da Arquidiocese, em virtude do destaque pastoral deste biênio. "Tenho plena convicção que as paróquias têm um papel fundamental que precisa ser retomado", garantiu. Dom Odilo também manifestou alegria por ver que muitos jovens estão se interessando em ser catequistas e garantiu que a catequese é um processo que amadurece com o tempo de dedicação a esse serviço.

O jovem Mário Pereira Kroiss Filho é catequista de crisma desde 2007 e gostou muito do encontro. "Nós temos que aderir a essa proposta, participando do processo de Iniciação à Vida Cristã, para que possamos transmitir o que vivemos. A própria palavra catequese significa 'ecoar'. A mensagem cristã deve primeiro ecoar dentro de nós para que, a partir da Palavra, possa ecoar para fora também", concluiu.

Fonte: www.regiaolapa.org.br - Região Episcopal de Lapa

Eu me encanto com Jesus...


Eu me encanto com Jesus quando... consigo amar incondicionalmente!

Henrique Medeiros - Taubaté-SP


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

PÓS-GRADUAÇÃO EM CATEQUÉTICA EM CURITIBA PR



Informações gerais  

Objetivos do curso
- Criar um espaço de reflexão sistemática e crítica capaz de iluminar a Pastoral Catequética da Igreja;
- Oportunizar às lideranças da pastoral da catequese um aprofundamento na área catequética;
- Incentivar a pesquisa e a reflexão, contemplando os temas mais importantes no momento atual;
Coordenação
- Prof. Ms Léo Marcelo Plantes Machado e Prof. Ms. Roberto Nentwig
Destinatários
- Coordenadores de catequese, presbíteros, religiosos(as), diáconos, formadores de catequistas e catequistas portadores de diploma de ensino superior, que pretendem aprofundar seus conhecimentos no âmbito da catequese.
Início
- 24 Março de 2012
Duração do curso
- 18 meses
Vagas
- 60
Inscrições e matrículas
- Novembro de 2011
Documentos necessários
- Fotocópia autenticada do Diploma de Graduação;
- Fotocópia autenticada do Histórico de graduação;
- Fotocópia de Carteira de Identidade Civil;
- Fotocópia do CPF;
- Duas fotos 3X4 recentes;
- Currículo;
- Comprovante de residência;
Investimento
- Matrícula – R$60,00;
- Mensalidades – 20 vezes de R$193,00;

IX SEMINÁRIO DE CEGOS



IX SEMINÁRIO DE CEGOS:
Necessidades, perspectivas e desafios para o trabalho, a educação e a auto-organização das pessoas com deficiência visual na atualidade.

Data de realização: Dias 12, 13 e 14 de novembro de 2011.
Local de realização: CDF - Centro Diocesano de Formação Endereço: Rua Jorge Lacerda, nº 629, Jardim Jussara, Cascavel - PR.

Dentre as propostas inclusivas que o Brasil passou a adotar nas últimas décadas, encontra-se a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho e no ensino comum. Estas propostas encontram-se inseridas num cenário em que a burguesia vem buscando estabelecer um novo padrão de acumulação, capaz de recuperar as decrescentes taxas de lucro e dar um novo fôlego ao capitalismo.

Os últimos dados apresentados pelo IBGE (Censo-2010) revelam que 90% das pessoas com deficiência, em idade de trabalhar, encontram-se excluídas do processo produtivo. Esta situação, que já havia sido indicado a algumas décadas, por outras pesquisas, revela que o progresso social e as novas tecnologias como instrumentos inclusivos, não tem passado de uma retórica liberal.

Essa exclusão ocorre porque no atual processo produtivo, a força de trabalho está colocada como uma mercadoria, que deve funcionar como a extensão da máquina e possuir a precisão de um relógio, gerando a maior quantidade de mais valia possível. Neste processo, a pessoa com deficiência que tenha alguma limitação acentuada, passa a ser considerada um mecanismo defeituoso e, sendo assim, com maiores dificuldades de satisfazer as necessidades de seu comprador, ou seja, a de gerar maior quantidade de lucro para o capitalista.

No que se refere a denominada educação inclusiva, a despeito das dificuldades existentes, os últimos dados tem revelado a ampliação do número de pessoas com deficiência freqüentando o ensino comum. No caso das pessoas com deficiência visual, um dos grandes problemas vem sendo o acesso ao livro didático e as novas tecnologias que poderiam contribuir na apropriação do saber sistematizado, conhecimento este, indispensável para que o homem possa ampliar seu processo de humanização e atuar como agente transformador.

É com a finalidade de refletir sobre os problemas apontados que a ACADEVI/PEE/UNIOESTE promove, nos dias 12, 13 e 14 de novembro de 2011, o seu IX Seminário de Cegos, com o tema Necessidades, perspectivas e desafios para o trabalho, à educação e a auto-organização das pessoas com deficiência visual na atualidade.


Programação

Dia 12 de novembro:

Das 13: 30 às 14: 00 horas: Seção de abertura.

Das 14: 0 às 15: 30 horas: Palestra: O trabalho na atual formação societária e suas perspectivas para as pessoas com deficiência visual.
Pontos a serem abordados:
* A necessidade e importância do trabalho;
* As bases do processo excludente na atual formação societária;
* Política de cotas e o trabalho das pessoas com deficiência.
Palestrante: Professor Mestre Enio Rodrigues da Rosa, Diretor Administrativo do Instituto Paranaense de Cegos.

Das 15:30 às 15:50 horas: Intervalo.

Das 15:50 às 18:00 horas: Debate do tema pelo plenário e formulação de propostas.

Dia 13 de novembro:

Das 08: 00 às 09: 30 horas: Palestra: A educação das pessoas com deficiência visual na perspectiva histórico-cultural.
Pontos a serem abordados:
* A importância da apropriação do saber sistematizado para o processo de humanização;
* Fundamentos sobre a aprendizagem e desenvolvimento das pessoas com deficiência visual;
* A escolarização da pessoa com deficiência visual e o problema do livro didático.
Palestrante: Professora Luzia Alves da Silva, Coordenadora do CAP Municipal de Cascavel.

Das 09: 30 às 09: 50 horas: Intervalo.

Das 09: 50 às 12: 00 horas: Debate do tema pelo plenário e formulação de propostas.

Das 14: 00 às 15: 30 horas: Palestra: As necessidades e perspectivas da auto-organização das pessoas com deficiência visual.
Pontos a serem abordados:
* Conjuntura atual e os desafios colocados à classe trabalhadora;
* Principais reivindicações das pessoas com deficiência visual;
* Os desafios colocados para a auto-organização das pessoas com deficiência visual.
Palestrante: Professor Mestre José Roberto de Carvalho, Pedagogo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Campo Grande-MS.

Das 15: 30 às 15: 50 horas: Intervalo.

Das 16: 50 às 18: 00 horas: Debate do tema pelo plenário e formulação de propostas.

Dia 14 de novembro:

Das 08:00 às 12:00 horas: Apresentação, apreciação e deliberação de propostas e moções. Seção de encerramento.

PÚBLICO ALVO:
Pessoas com deficiência visual e professores que atuam junto a este segmento social.
Obs: A inscrição e a participação de professores videntes só será aceita quando acompanhada de uma pessoa com deficiência visual.

Data de inscrição: de 20 de outubro a 04 de novembro de 2011.
Número de vagas: 180.  
Forma de inscrição: pelo fone 0xx45 3226-9814.

- Será emitido certificado com carga horária de 24 horas aos participantes com 100% de frequência;
- A ACADEVI oferecerá gratuitamente, durante a realização do evento, alojamento, café da manhã, almoço e janta aos participantes.
- Os participantes deverão trazer roupas de cama (fronhas e lençóis), travesseiro, cobertor e itens de higiene pessoal;
- Na manhã do dia 11 de novembro haverá comissão de recepção no Terminal Rodoviário. Para que haja recepção apropriada, os participantes precisam avisar com antecedência o horário de chegada e a empresa em que estão viajando.
- Endereço da ACADEVI: 2º piso do Terminal Rodoviário, sala 226, localizado na Avenida Assunção, 1757, Bairro Alto Alegre.
- Mais informações: 0xx45 3226-9814

PROMOÇÃO:

- Associação Cascavelense de Pessoas com Deficiência Visual (ACADEVI).
- Programa de Educação Especial da UNIOESTE (PEE) APOIO - ITAIPU BINACIONAL
- Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual de Cascavel (CAP Paraná/Cascavel);
- Centro de Apoio Pedagógico ás pessoas cegas ou com visão reduzida (CAP Municipal de Cascavel);
- Assessoria de Políticas Públicas e de Inclusão Social da Pessoa com Deficiência (APPIS/Município de Cascavel)
- Secretaria de Assistência Social/Programa Reabilitação Baseada na Comunidade (RBC) - Fórum Municipal Permanente em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Cascavel.
- Fórum Regional Permanente em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Região Oeste e Sudoeste do Paraná.

CONGRESSO INTERNACIONAL PELA VERDADE E PELA VIDA

Eu me encanto com Jesus...


Sinto seu grande amor que além de morrer numa cruz se doa como alimento para a nossa salvação e nos deixa sua palavra para orientar-nos, só um grande amor se doa tanto.

Lucia Mariano - Taubaté-SP


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Diocese de Palmeira dos Índios - AL, realiza Congresso Diocesano de Catequese

Aconteceu entre os dias 21 a 23 de outubro , no Centro Bíblico na cidade de Santana do Ipanema-AL, o II Congresso Diocesano de Catequese com o tema: Catequese, desafio na atualidade e com o lema: Ser catequista, permanecer no Cristo, para anunciar o Cristo.

Luiz Carlos Ramos
Durante o Congresso Diocesano foi trabalhado os temas vistos no I Congresso Brasileiro de Animação Bíblica da Pastoral, realizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), através da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico-Catequética, e pela Sociedade de Catequetas Latino-americanos (SCALA), com o objetivo de repassar urgentemente para os coordenadores fazendo chegar a todos os catequistas.

Da esquerda para direita Maria Aparecida,
Maria Alves, Cliane, Gorete, Cesária e Paula
Participaram do congresso coordenadores de catequese das cidades de Major Isidoro, São José da Tapera, Maravilha, Senador Rui Palmeira, Monteirópolis, Jacaré dos Homens, Mata Grande, Palmeira dos Índios, Estrela de Alagoas, Batalha, Minador do Negrão, Igaci, Paulo Jacinto, Quebrangulo, Cacimbinhas, Carneiros, Poço das Trincheiras, Olho d´água das Flores, Olivença, Água Branca, Olho d´água do Casado, Pariconha, Pão de Açucar.





Fonte: http://www.catequeseregionalnordeste2.blogspot.com/

ENCONTROS DE JESUS: A ENCARNAÇÃO

A partir de agora, todas as semanas estaremos publicando textos de Frei Ildo Perondi como Estudo Bíblico para os nossos leitores.

Começaremos com uma série de textos intitulados: Encontros de Jesus


Frei Ildo Perondi é  Franciscano Capuchinho; biblista, com Mestrado em Teologia Bíblica pela Universidade Urbaniana de Roma e doutorando em Teologia Bíblica na PUC Rio. Professor de Sagradas Escrituras na PUCPR (Câmpus Londrina). Recentemente colaborou com a CNBB com o livro de Subsídios para o mês da Bíblia 2011 “Travessia: passo a passo, o caminho se faz”.



ENCONTROS DE JESUS: A ENCARNAÇÃO

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós!” (Jo 1,14). Podemos fazer um exercício de imaginação. Imaginar Deus em seu Mistério, na sua Grandeza... Deus que habita os Céus e governa todo o Universo Cósmico. E em determinado momento da história as Três pessoas dialogando sobre a Criação e olhando para a Humanidade decidem que a segunda Pessoa da Trindade, o Filho, virá visitar a Terra e tornar-se um de nós.
É o Filho de Deus o escolhido que vem encontrar a sua Criação. Ele vem para o que era seu (Jo 1,11). Ele que já estava presente na Criação, pois “no princípio era o Verbo e o Verbo era Deus. No princípio, ele estava com Deus. Tudo foi feito por meio dele e sem ele nada foi feito” (Jo 1,1-2).
O “Sim” de Maria é importante. Naquela jovem, todos nós, homens e mulheres de boa vontade, estamos representados. Quando ela disse: “Eu sou a serva do Senhor: faça-se em mim segundo a tua palavra!” (Lc 1,38), ela o disse em nome próprio, mas também em nome de toda humanidade. Nós o acolhemos e lhe dissemos: “Seja bem-vindo!
Ele vem habitar conosco, morar no meio de nós, assumindo toda a nossa realidade, menos o pecado. Jesus não escolhe o melhor, mas o mais frágil. Um lugar pequeno, o ventre de uma mãe. Nasce em meio aos perigos da vida: fora de casa, na noite fria, numa pobre gruta, em meio aos animais, entre o povo pobre e recebe a visita de pastores e de magos que chegam de longe. Sofre o perigo do Rei Herodes que já o quer matar.
Se Deus quis vir ao encontro da sua Criação, isto significa que a Criação é boa, é lugar e o chão onde Deus quis pisar, deixar suas pegadas.
Quando andei pela Terra Santa, várias vezes olhei para o chão procurando os rastros de Deus, os sinais dos pés de Jesus e pensava: “Aqui Deus passou; por aqui Deus se fez Humano; igual a nós, por isso a Terra é santa, é sagrada, é bela!
Jesus cresceu numa vila chamada Nazaré. Nazaré em hebraico significa “broto novo”. Aquele lugar desprezado, do qual se dizia: “De Nazaré pode vir alguma coisa de bom?” (Jo 1,46), foi onde brotou e cresceu a Vida. Foi ali que ele viveu 30 anos no anonimato. O que Jesus fez nestes 30 anos? Conviveu com o que era seu. Admirou e contemplou o mundo. É só imaginar o encontro de Jesus com a sua Criação, com o sol que nascia, com a chuva que caía, com o vento que soprava, com as flores do campo, com os frutos das árvores, com a colheita dos campos, com os pássaros do céu... Jesus passou 30 anos contemplando, se preparando e amando o mundo. Viveu na casa de José e Maria, trabalhou na carpintaria, ensinando que o trabalho tem valor e edifica o ser humano, viveu e freqüentou a vila de Nazaré para dizer que a comunidade é o lugar da vida e da convivência.
É na contemplação com a criação e com a história do ser humano que Jesus, 30 anos depois, começa a anunciar o Reino de Deus, fazendo o bem e dizendo que a humanidade é o lugar da vida: “Seja feita a tua vontade assim na terra como céu!” (Mt 6,10) e quase que a gritar que “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância!” (Jo 10,10).
É como se todo dia fosse Natal e todo dia o Verbo estivesse se encarnando. Acolhamos Jesus que vem. Imitemos suas pegadas, seus gestos, vendo a Criação como algo belo e bom. Contemplemos a história nossa como boa, pois é a história do nosso Deus, apesar das imperfeições que são a marca do nosso pecado. Que cada manhã possa ser o momento da acolhida, como cantou Alceu Valença: “Tu vens, Tu vens... Eu já escuto os teus sinais!

Frei Ildo Perondi - ildo.perondi@pucpr.br

Eu me encanto com Jesus...



Eu me encanto com Jesus quando dou conta de Seu amor incondicional, por cada um de nós.

Cristina Weiger - Taubaté-SP

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Celebração de lançamento do Álbum Catequético-Litúrgico 2011-2012 reúne cerca de 100 catequistas da Arquidiocese de Curitiba

O ato de lançamento do Álbum Catequético-Litúrgico 2011/2012 aconteceu nesta terça-feira (18), no Salão Nobre da Cúria Metropolitana. Cerca de 100 catequistas e coordenadores (as) participaram da reunião, que ocorreu de maneira celebrativa e alegre. O material foi apresentado pelo padre e coordenador da Comissão Bíblico-Catequética, Roberto Nentwig.

Também foram nominados todos os agentes envolvidos na produção do material que, graças a Deus, tem sido, cada vez mais, um eficaz instrumento de evangelização em todo o Brasil.

As fotos do ato de lançamento estão disponíveis em nossa galeria de fotos do site - link localizado no canto superior direito da página inicial: http://www.arquidiocesedecuritiba.org.br/

Sobre o Álbum

A nova edição do Álbum - produção da Editora Arquidiocesana - traz algumas novidades, como um DVD contendo orientações práticas aos pais e catequistas sobre como utilizar o livro. Os pedidos podem ser feitos diretamente na Central de Atendimento do Centro Pastoral pelo telefone: (41) 2105-6300 ou no e-mail: sac@arquidiocesecwb.org.br.


Fonte: www.arquidiocesedecuritiba.org.br

Concurso "Alunos surdos, roteiro e produção de filmes em língua de sinais"


O projeto está enquadrado por um compromisso com as metas educacionais para governos ibero-americanos e, especificamente, na meta em suas principais competências em conhecimento e uso de sua língua nativa e em diferentes formas de comunicação e expressão.

O prêmio "Escola, escrita filme", ​​ocorre em todos os países da América Latina e faz parte de uma série de ações criadas no âmbito do "Programa para o fortalecimento das línguas da América Latina na educação", que visa alcançar a produção de scripts em qualquer das línguas faladas na região da América Latina, incluindo a linguagem de sinais.

Esta proposta baseia-se na escrita de histórias como uma criação coletiva, para que os alunos devem ler, pesquisa, consultoria, ver produções audiovisuais, narrando, edição, concordar, discutir e reescrever a intenção de atingir a conta desejada.

Propõe-se a trazer o filme para a escola, promover a educação das novas gerações através da expressão de seu pensamento, suas idéias e afetos, e ao mesmo tempo melhorar o seu conhecimento de cinema e sua avaliação a esse tipo de comunicação .

Neste contexto, a Confederação Nacional de Surdos da Espanha e da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência ea Cultura (OEI) convida os alunos de escolas de 12 a 15 anos, com deficiência auditiva a participar e produzindo histórias / estórias para escrever o roteiro e produzir filmes de curta metragem em língua gestual.

BASES

O que é

Alunos que desejem participar irão desenvolver suas histórias / estórias e scripts e enviados para o concurso com o apoio do centro.

Um júri nacional composto por cineastas e representantes dos Ministérios da Educação e Cultura irá selecionar três histórias / contos do total feito e será produzido como curtas-metragens em colaboração com jovens cineastas.

Quem pode participar:

Estudantes participantes / deficientes auditivos de 12 a 15 anos e pode incluir a ouvir os alunos como colaboradores.

De trabalho temáticos:

Os temas das histórias são livres. Os participantes podem escolher os temas que eles escolherem. Recomendamos que as histórias acontecem em lugares fechados para reduzir o custo de transporte

Fases no desenvolvimento de histórias script:

Fase 1: Preparação da história / história

Para a preparação da história / estória, que irá apoiar o script, você deve ler, pesquisa, consultoria, ver produções audiovisuais, narrando, edição, concordar, discutir as intenções e re-escrever para conseguir a conta desejada.

Fase 2: Âmbito do "guionación" da história

Uma vez que o pensamento das cenas de história / narrativa identificados "chaves" da história. Um será escolhido e descreveu a cena completa, incluindo os diálogos. Uma vez que este é um gênero raro nas escolas, haverá apoio e orientação de materiais que irão orientar o processo.

Fase 3: Relatório do realizado1

Um relatório que recupera e diz o transito experiência totalmente criativo ou participantes.

Apoiar o desenvolvimento da proposta:

No site da OEI estudantes podem acessar os materiais, as orientações, guias, vídeos, entrevistas com cineastas que apoiar o desenvolvimento de histórias.

Prêmios:

Nós selecionamos três histórias / estórias será recompensado com:
• Produção de histórias curtas de cineastas como profissionais ou estudantes avançados de cinema. Esses curtas-metragens serão gravados em linguagem gestual.
• Uma viagem a Espanha para uma semana em setembro de 2012. A viagem incluirá participação no Congresso de línguas latino-americano em Educação, a ser realizada em Salamanca e que irá apresentar os filmes vencedores curto de todos os países latino-americanos.
Durante essa semana, os vencedores serão acompanhadas por todas as crianças / as vencedores do "Concurso Escola Ibero-americana escrever, e cinema", realizado em diferentes países.

Prazos:

Chamada: 15 de outubro de 2011

Os participantes terão três meses para preparar e apresentar seus roteiros a partir da data da notificação da proposta.

Prazo: até 15 janeiro de 2012

Seleção dos trabalhos: 15 de janeiro de 2012 a 28 de fevereiro de 2012

Entrega dos prêmios: 1 de março de 2012

Produção de curtas-metragens: de 2 de março de 2012 a 15 de julho de 2012

Apresentação de curtas-metragens: Congresso Latino Americano de Línguas, Salamanca de 5 a 07 de setembro de 2012.

O que apresentar:

1. a) História / história, b) identificaram uma cena description "chave" completo e diálogo. (Conforme definido e explicado no "Guia para a elaboração de scripts" encontrado no site da competição.)

2. Relatório do processo de criação

Como enviar:

Todos os textos páginas A4, tamanho 12 e espaçamento entre linhas. O script não tem mais de quatro páginas.

Em uma folha separada deve conter as seguintes informações:

Nome do participante ou participantes
Ano
Seção
Vez
Escola / Instituto
Endereço
Telefone
E-mail
Departamento / Região
Província / Estado

Carta Director da Escola ou submeter-se ou participar no Concurso.

Onde apresentar:

Ele produziu (script, o processo de criação de relatórios e dados de referência) são mostrados na Secretaria-Geral da IEO.

E-mail: concursooei2@oei.es

Mail:

OEI
c / Bravo Murillo 39,
28015 Madrid (Espanha)

Site do programa: www.oei.es/lenguas/concurso2.html

1 Desta forma, haverá dois registros discurso produzido pelos alunos com o propósito do projeto.

Concurso Formulário de inquérito
Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS