sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Somos aquilo que ouvimos...


Somos aquilo que ouvimos. O coração do verdadeiro cristão é “uma biblioteca bíblica”. Na Bíblia, a Igreja ouve as declarações de amor do Amado.
Era costume em alguns mosteiros o Abade perguntar aos monges após a meditação da Palavra: “O que comeste hoje?” A Bíblia é pão, é nutrição, alimento diário. A Palavra de Deus é inesgotável, não envelhece, é como a sarça ardente que não se consome, não passará. Eis a inesgotabilidade da Palavra de Deus. Os irmãos protestantes leem a Bíblia, os católicos falam da Bíblia. Precisamos ser a Igreja escriturística.
Testemunho de um bispo na aula sinodal: “Obtive Licenciatura no Instituto Bíblico de Roma, mas foram os pobres que me abriram mais ao vigor da Palavra”. (D. Emmanuel Lafont, Guiana Francesa).
Os seminaristas devem abordar a Bíblia como livro da vida e não como livro de estudo. A vivência do evangelho é mais eloqüente que tantas palavras.
Cada cristão deve ter a sua Bíblia.

(Dom Orlando Brandes)

Um comentário:

  1. ÓTIMA POSTAGEM, DEVEMOS SEMPRE ESTAR COM O CORAÇÃO ABERTO E OS OUVIDOS ATENTOS PARA ABSORVER COM AMOR A PALAVRA DE DEUS. TENHAM UM ABENÇOADO FIANAL DE SEMANA. ABRAÇOS.

    ResponderExcluir

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS