domingo, 28 de agosto de 2011

VIVA A CATEQUESE!


O primeiro ensino de catequese nós o recebemos através da beleza da criação. As estrelas, as montanhas, os rios, as flores são catequeses sobre a sabedoria, bondade, beleza, providência de Deus Criador. A criação é o primeiro livro da Palavra de Deus, é o primeiro sacramento que nos liga com o Criador é a primeira catequese. As criaturas nos levam ao Criador.

Outra grande e indispensável catequista é a família. O namoro, o noivado, o casamento, a gravidez, o nascimento, as festas de aniversário, a convivência familiar são excelentes meios de catequese. Os pais, primeiros catequistas, podem falar de Deus através do pôr-do-sol, da festa de casamento, da morte de alguém, da experiência do sofrimento, das celebrações do batismo, crisma, primeira Eucaristia, ordenação sacerdotal, enterros etc. Podem falar de Deus à mesa, no aconselhamento, no atendimento a um pobre. A família é uma catequista extraordinária.

A comunidade eclesial com sua liturgia, cantos, pastorais, movimentos, missão evangelizadora, grupos de reflexão, missões populares, opção pelos pobres é uma catequista por excelência pelo seu poder catequético. Pode-se catequizar até através de avisos bem dados, da homilia, da participação litúrgica, das experiências evangelizadoras e transformadoras. Uma paróquia viva, entusiasmada, missionária oferece uma catequese permanente e impar.

Falemos agora de uma catequista fascinante, sábia, iluminadora e atraente, é a Palavra de Deus, a Sagrada Escritura. Os livros bíblicos especialmente os Santos Evangelhos, são catequese da fé. Quantos catequistas famosos encontramos na Bíblia. Desde o Genesis ao Apocalipse, a Palavra de Deus nos oferece a catequese de Deus Pai, de Jesus Salvador e do Espírito Santificador. Como não perceber que Maria, Mãe de Deus e nossa, é nossa catequista pelo seu jeito de ser, seu testemunho e seus ensinamentos revelados na Bíblia?

Os grupos de reflexão e outras experiências comunitárias são catequeses autênticas, junto com os cursos de teologia, os retiros, as escolas bíblicas, os encontros de formação. O próprio domingo, a celebração dominical, a religiosidade popular muito contribuem para a catequese.

Portanto, a criação, a família, a Escritura Sagrada, a comunidade, os grupos de reflexão, a formação oferecida ao povo são mãos estendidas aos catequistas para que se revistam de entusiasmo, alegria, esperança na sua missão. Deduz-se de tudo isso que o apoio e a valorização da catequese numa paróquia ou diocese, é uma obrigação e responsabilidade de todos. Não podemos banalizar a catequese geradora de novos cristãos, garantia de a fé, colaboradora da Igreja, educadora e formadora de  cidadãos cristãos e santos. A catequese é o sucesso de Jesus e do seu reino, pois o Espírito Santo é o principal catequista.

Todas estas catequeses e catequistas, porém, não substituem a formação catequética orgânica, sistemática, gradual progressiva e permanente, pelo contrário, necessitam dela.

Aos catequistas a gratidão, o reconhecimento e os parabéns pelo seu dia e sua missão. Seus nomes estão escritos no céu e seu testemunho está gravado no coração dos catequizandos e no livro da vida.
     
Dom Orlando Brandes
Arcebispo de Londrina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS