domingo, 7 de agosto de 2011

FREI CARLOS MESTERS


Para homenagear as Vocações Consagradas, que festejamos neste primeiro domingo de agosto, nada como falar de alguém que dedicou e dedica ainda, sua vida a esta tão nobre vocação.

Assim, não podemos deixar de falar um pouco do Frei Carlos Mesters, este nobre frade carmelita que sabe como ninguém, falar de Bíblia. Impensável fazer estudos bíblicos sem a mediação desse teólogo que recusa homenagens dizendo que: “Quem merece incenso é o povo”.

Carlos Mesters é frade Carmelita, doutor em Teologia Bíblica. É natural da Holanda e ligado à caminhada das Comunidades Eclesiais de Base, ajudou a criar o CEBI (Centro de Estudos Bíblicos). Escreveu, entre outros, Esperança de um povo que luta (São Paulo: Paulus, 1983), Com Jesus na contramão (São Paulo: Paulinas, 1995), Círculos bíblicos (São Paulo: Paulus, 2001), Paulo apóstolo: um trabalhador que anuncia o evangelho (São Paulo: Paulus, 2002), Bíblia: livro feito em mutirão (São Paulo: Paulus, 2002), Por trás das palavras (Petrópolis: Vozes, 2003), entre tantos outros. Frei Carlos Mesters foi assessor  na XII Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que aconteceu de 5 a 26 de outubro de 2008, no Vaticano.

Neste ano, do dia 20 de outubro, Frei Carlos Mesters, completa 80 anos de vida. Grande parte dela dedicada aos estudos bíblicos e mais especificamente ao CEBI – Centro de Estudos Bíblicos que, para homenageá-lo, junto com a Província Carmelita Santo Elias, chegou mesmo a pensar num livro, já que Frei Carlos resiste a grandes e pomposas homenagens. A proposta do livro acabou sendo descartada, pois, o total de colaboradores e colaboradoras seria tal que mais de mil páginas seriam necessárias.

Assim, ainda com alguma resistência, Frei Carlos aceitou que se mensagens fossem enviadas através da internet, num espaço amplo e democrático, para que todas as pessoas pudessem participar. Assim pensou-se num blog, onde as pessoas que desejarem possam deixar mensagens de agradecimentos, congratulações e homenagens. Fotos e pequenos vídeos também poderão ser postados. Clique aqui e visite agora mesmo o Blog - Carlos Mesters 80 anos.

Frei Carlos Mesters é um dos Palestrantes convidados para I Congresso de Animação Bíblica de Pastoral que acontecerá em Goiânia –GO de 08 a 11 de outubro de 2011.

Algumas contribuições de Frei Carlos Mesters:

 “A riqueza deste método é que a leitura orante da Palavra de Deus provoca no povo um contato direto com a Bíblia, sem intermediários, num ambiente comunitário de fé, dentro da realidade do dia-a-dia da vida. Deste modo, vai nascendo um confronto entre Bíblia e Vida. A Bíblia se torna um espelho, no qual as pessoas descobrem dimensões mais profundas da sua própria vida que antes não tinham percebido. Você pergunta: “Qual o seu limite?”. Tudo o que é humano é limitado. Um limite aparece quando os participantes do Círculo Bíblico se fecham em si mesmos e esquecem a realidade da vida ao redor. Pois a Palavra de Deus não está só na Bíblia, mas também na Vida, na natureza, nos fatos, em tudo que acontece.”.

“Todas as hermenêuticas que ajudam o povo a descobrir a presença da Palavra de Deus na vida são importantes: a hermenêutica feminina, a negra, a indígena, a leitura que os pobres fazem da Bíblia, enfim, tudo que faz a gente olhar os textos com um olhar a partir da realidade das pessoas. Resumindo, acho importante seguir os três passos do método ou da hermenêutica que Jesus usou com os discípulos na estrada de Emaús. O primeiro passo: aproximar-se das pessoas, escutar sua realidade e seus problemas; ser capaz de fazer perguntas que as ajudem a olhar a realidade da vida com um olhar mais crítico (Lc 24,13-24). O segundo passo: com a luz da Palavra de Deus iluminar a situação que os fazia sofrer e os levou a fugir de Jerusalém para Emaús; usar a Bíblia para fazer arder o coração (Lc 24,25-27). O terceiro passo: criar um ambiente orante de fé e de fraternidade, onde possa atuar o Espírito que abre os olhos, faz descobrir a presença de Jesus e transforma a cruz, sinal de morte, em sinal de vida e de esperança. Assim, aquilo que antes gerava desânimo e cegueira, torna-se luz e força na caminhada (Lc 24,28-32). O resultado do uso da Bíblia é o de criar coragem e voltar para Jerusalém, onde continuam ativas as forças de morte que mataram Jesus, e experimentar a presença viva de Jesus e do seu Espírito na experiência de Ressurreição (Lc 24,33-35). O objetivo último da Leitura Orante da Bíblia ou da Lectio Divina não é interpretar a Bíblia, mas sim interpretar a vida. Não é conhecer o conteúdo do Livro Sagrado, mas, ajudado pela Palavra escrita, descobrir, assumir e celebrar a Palavra viva que Deus fala hoje na nossa vida, na vida do povo, na realidade do mundo em que vivemos (Sl 95,7); é crescer na fé e experimentar, cada vez mais, que “Ele está no meio de nós!”

(Trechos de entrevista concedida à Revista do Instituto Humanista Unisinos, em out/2008).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, caso não tenha uma conta google escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário.

Loading...

Cadastre seu email e receba nossas novidades:

Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

MAPA DE VISITAS